POLÍTICA

Laudo traumatológico da suposta vítima de agressão no final das Marocas divulgado ontem (14), comprova lesão por socos e chutes
A avaliação da médica foi realizada na última segunda-feira (12), a pedido do delegado de Belo Jardim.


Imagem/Reprodução da internet

A suposta vítima de agressão durante o final da 52ª Festa das Marocas, procurou a 15ª DESEC (Delegacia Seccional de Polícia Civil de Belo Jardim) para registrar o B.O. da suposta agressão sofrida por ele no dia anterior (11).

Valdemir da Costa Braga, apresentou as marcas corporais da suposta agressão ocorrida no último domingo. O exame foi realizado pela médica Drª Thalyta nomeada como perita “AD-HOC” pelo Delegado de Polícia Civil de Belo Jardim, Dr. João Carlos Oliveira Azevedo.

O laudo, que deu positivo para lesão corporal, onde constatou que à vítima aparece com corte contuso no lábio inferior ocasionado por soco e provavelmente por a utilização de objeto perfuro cortante e dor muscular na região lombar devido a chutes, deixando marcas nos locais acima citados.

Agora, a polícia busca outras provas, como as imagens das câmeras de segurança onde o caso teria acontecido. A análise não tem prazo para ser concluída. O caso é investigado por Dr. João Carlos Oliveira Azevedo, Delegado Municipal de Belo Jardim.

A confusão ocorreu no desfile do Carro da Pitú, no encerramento da 52ª Festa das Marocas, onde o prefeito Gilvandro Estrela (DEM), estava participando de uma aglomeração durante o final dos festejos das Marocas. A vítima acusou o chefe do executivo (que estava sem máscara) e dois agentes da Belotran de agressão durante a tradicional despedida da unidade sonora.




Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp

Participe do nosso grupo e canal do Telegram




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |   30/07/2021 23h41





POLÍTICA  |   30/07/2021 02h55